Notícias da diocese › 06/04/2021

Campanha para revitalização da igreja Nossa Senhora do Amparo aproxima fé e história de um povo

Dom Pedro de Alcântara une esforços com a campanha Restauradores da Casa da Mãe para a revitalização da igreja Nossa Senhora do Amparo, construída há 68 anos por meio de mutirão do povo dom-pedrense em 1953. Na manhã de 20 de dezembro de 2020, a comunidade e o pároco, Pe. Gilberto Fraga, foram surpreendidos ao chegarem no templo para a missa dominical, com a queda de parte do teto do presbitério.

Pe. Gilberto conta que há dois anos quando assumiu como pároco no município, havia iniciado um planejamento para reparos e manutenção da igreja, incluindo a estrutura onde está fixado o sino. Porém, a deterioração pelo tempo não esperou os reparos que já estavam em andamento e revelaram a urgência por uma revitalização completa.

Surge estão a ideia da Campanha Restauradores da Casa da Mãe, não somente para a realização de uma obra, mas também resgatar a história da construção da igreja que está diretamente ligada ao forjamento da história de um povo imigrante, na maioria alemães católicos, que contando com o auxílio de padres da Congregação Sagrada Família, também vindos da Alemanha, construíram a primeira pequena capela em 1926, na Colônia de São Pedro.

 

História de um povo de fé

Cerca de 30 anos depois, a capela tornou-se pequena para atender a comunidade que crescia e, em 1953, o então Pe. Luiz Benini convidou um exímio mestre de obras, Theodor Esser, imigrante chegado da Alemanha em 1933, a ajudá-lo a construir uma nova igreja. O novo templo foi construído aos fundos da primeira capela. Na época, segundo testemunho do filho do mestre de obras, Vunibaldo Esser, advogado que atualmente reside entre o Litoral Norte e Porto Alegre, o projeto da construção da nova igreja envolveu lideranças, comerciantes, políticos locais e da região. Cada um contribuiu com o que podia, dinheiro, materiais de construção e até horas do seu tempo no trabalho de construção.

“Uma construção com trabalho braçal, com padiolas e carros de boi para o transporte dos materiais de construção. Constatação registrada em fotos históricas que pesquisei sobre a árvore genealógica da minha família. Sinto que a minha história e da minha família está vinculada a história da igreja Nossa Senhora do Amparo, assim como muitas outras famílias que residem na “Colônia” e ou em outras cidades”, acredita Vunibaldo.

Finalmente, na festa da padroeira Nossa Senhora do Amparo, em 8 de dezembro de 1955, a nova igreja foi inaugurada, solenemente, ainda que faltasse o reboco e alguns acabamentos. Reunidos, Pe. Luiz Benini, o mestre de obras, Theodor Esser, e a comunidade local, foi celebrada a igreja de pedra e a igreja viva em cada dom-pedrense.

 

Projeto para a revitalização

Pe. Gilberto explica que já foi definido um cronograma de obra para a execução imediata no reparo do telhado da parte da igreja que desabou em dezembro de 2020, como a sacristia, capela do Santíssimo e presbitério. Também está prevista a impermeabilização das torres para sanar problemas de infiltrações e ferragens aparentes que sofrem com a ação do tempo, além da troca do telhado das torres. Essa primeira parte da revitalização está orçada em cerca de R$ 44 mil. O valor para a revitalização total da igreja para a sua reinauguração na festa da padroeira em 8 de dezembro de 2022 é de R$ 200 mil.

 

Restauradores da Casa da Mãe

A Campanha, segundo Pe. Gilberto, não se trata somente de arrecadar fundos para as melhorias e reabertura da igreja, mas sim resgatar todo aquele que está ligado afetivamente e/ou religiosamente à igreja Nossa Senhora do Amparo.

“Quem se casou na igreja, quem foi batizado, que vivenciou no templo os seus sacramentos, a vida de fé que fez e faz continuamente parte da história de pessoas e famílias, envolvendo a vida das pessoas ao templo que foi construído pela comunidade e para a comunidade.

Todo/a aquele/aquela que se comprometer com a Campanha sendo um “Restaurador da Casa da Mãe” irá acompanhar de perto a execução do projeto por meio de vídeos, cartas e prestação de contas de cada fase da revitalização.

Pe. Gilberto conta que, inclusive, os “Restauradores” receberão a cada etapa partes de um Quebra-cabeça, e ao final da obra, concluirão a montagem e terão uma lembrança da trajetória de reabertura do templo.

A Campanha quer alcançar 200 pessoas para a contribuição mensal em dinheiro ou material de construção pelo período de 10 meses.

A Campanha “Restauradores da Casa da Mãe” foi lançada oficialmente em uma coletiva de imprensa no dia 6 de abril, às 9h da manhã, no salão paroquial, com um café colonial para apresentação do projeto e Campanha.

Confira o vídeo de lançamento:

“Não vamos reconstruir a igreja de pedra, sem antes restaurar a nossa igreja interior. Portanto, essa Campanha junto as obras que vamos fazendo é oportunidade para cada um e cada uma reforme primeiro o seu interior, um coração convertido, sensível aos sinais de Deus em nossa vida. Acredito que a Campanha pode nos relembrar aquilo que somos de verdade: igrejas do Senhor. Pedras Vivas. Deus habita em nós e o templo reúne a igreja que juntos formamos”, reforça Pe. Gilberto.

Para mais informações, contate a secretaria paroquial no telefone (51)-98410-2442.

 

 

Deixe o seu comentário





* campos obrigatórios.