A Voz do Bispo › 20/09/2019

Como vai você?

O Dia Mundial de Prevenção ao Suicídio é celebrado no dia 10 de setembro, mas a campanha que busca chamar a atenção da população sobre a importância desse tema dura todo o mês. Por isso a trago presente neste espaço.

No Brasil, uma pessoa tira a própria vida a cada 45 minutos, segundo o Centro de Valorização da Vida (CVV). Um dado alarmante que precisa cada vez mais de atenção da sociedade. Para isso, existe o movimento #SetembroAmarelo que este ano traz a campanha #ComoVaiVocê?

O CVV que realiza apoio emocional e prevenção ao suicídio, atende voluntária e gratuitamente todas as pessoas que querem e precisam conversar, sob total sigilo por telefone, e-mail e chat 24 horas todos os dias, convida toda a sociedade a se unir na luta pela prevenção.

O suicídio é um problema de saúde pública no Brasil e os casos têm crescido principalmente entre os jovens. De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), o suicídio já é a segunda causa de morte entre jovens de 15 a 29 anos, no mundo. No Brasil, já é a quarta maior. 32 brasileiros se suicidam diariamente.

Em artigo do bispo de Rio Grande, dom Ricardo Hoerpers, ele afirma que “não podemos deixar de debater e aprofundar esse tema em nossas famílias, escolas, comunidades, entre os amigos e, também na saúde pública. Todos temos a responsabilidade de ajudar a diminuir os índices que temos visto crescer em todas as faixas etárias, mas principalmente entre os jovens”.

Segundo a OMS, nove em cada dez mortes por suicídio podem ser evitadas. A prevenção é fundamental para reverter essa situação, garantindo ajuda e atenção adequadas. Para a organização, a primeira medida preventiva é a educação. É preciso perder o medo de se falar sobre o assunto.

O CVV alerta que a sociedade em geral precisa reconhecer sinais, diferenciar mitos e verdades, ouvir profissionais e ter acesso a formas de apoio. Falar também é a melhor solução já que a pessoa que pensa em suicídio sofre uma grande dor e não vê saída para ela. Em geral, quem pensa em suicídio não quer necessariamente morrer, mas fazer aquela dor sair, mas não sabe como.

A mobilização de combate ao suicídio pode ser feita de diversas formas. O bispo de Rio Grande alerta para a importância da ajuda e o não julgamento. “Mais do que procurarmos culpados ou julgarmos pessoas, precisamos aprender a ajudar pró-ativamente quem precisa do nosso apoio com atitudes de prevenção,” ressalta dom Ricardo.

Somos todos convidados a engajarmo-nos nessa campanha com iniciativas simples e concretas, mas que podem salvar vidas. Muitas vidas!!! Não custa mostrar atenção perguntando: como vai você? Posso ajudar? Conta comigo!

 

Para refletir:

– Costumo prestar atenção na vida das pessoas do meu convívio?

– Consigo partilhar suas alegrias e angústias?

– Como posso ajudar mais?

 

Textos Bíblicos: Am 8, 4-7; 1Tm 2,1-8; Lc 16,1-13 e Sl 112.

 

 

Deixe o seu comentário





* campos obrigatórios.