Notícias da diocese › 25/06/2021

Diocese de Osório inova na catequese

Com a chegada da pandemia, também a catequese sofreu fortes interferências. Os estudos e vivências que davam Iniciação à Vida Cristã às crianças, adolescentes, jovens e adultos encontrou muitos desafios.

Pe. Gilberto Fraga apresentando a propostas às catequistas da Paróquia Santo André Avelino, mantendo os cuidados necessários contra a Covid 19 / Foto: Pascom Maquiné

Como bem acentuado pelo referencial para o Serviço da Animação Bíblico-Catequética (SAB-C) da Diocese de Osório, Pe. Gilberto Fraga, “toda a crise aponta para oportunidades também”. Ele explica que mesmo antes da pandemia, a Diocese já vinha motivada pela Igreja Católica no Brasil, em um processo de amadurecimento de suas opções por uma catequese centrada no anúncio querigmático de Jesus Cristo, com metodologia de inspiração catecumenal e forte acento na Leitura Orante da Bíblia.

“Estas opções-chave visam superar uma catequese somente para os sacramentos, repetitiva e pouco evangelizadora-missionária. E, após apresentar proposta na reunião com o clero da Diocese em maio deste ano, e a realização de reuniões da coordenação do SAB-C, decidimos dar passos mais firmes neste caminho”, afirma Pe. Gilberto.

O bispo da Diocese de Osório, dom Jaime Pedro Kohl, diz que com isso se espera propiciar aos catequizandos e suas famílias experiências concretas de encontro com Jesus e introdução gradual na vida da comunidade, criando um profundo sentido de pertença à mesma e um consequente engajamento em algum grupo, serviço ou ministério na Igreja.

 

Proposta do novo processo

Um novo itinerário de Iniciação à Vida Cristã será chamado “Caminho de Emaús”. De acordo com Pe. Gilberto, será um processo unitário, com celebrações e encontros com os iniciandos e suas famílias, nos quais toda a comunidade assumirá seu papel evangelizador e missionário, com duração aproximada de três anos, que culminará numa única celebração, presidida pelo bispo da Diocese de Osório, onde serão conferidos os sacramentos da Confirmação (Crisma) e da Eucaristia.

“Em outras palavras, não teremos mais quatro anos de catequese (dois para Eucaristia e dois para Crisma), mas um único processo iniciático em etapas”, explica Pe. Gilberto.

As etapas previstas são as seguintes:

1ª etapa: chamada de “Aproximação”, será composta pelo tempo das inscrições com um catequista e seis encontros catequéticos com as famílias;

2ª etapa: chamada de “Discipulado”, será o tempo do aprofundamento intenso da pessoa de Jesus Cristo e da Igreja, com explícito anúncio de sua proposta para quem deseja ser iniciado;

3ª e última etapa: chamada de “Discernimento”, será destinada à intensificação das orações e à opção por anunciar o que foi aprendido, sentido e vivido no encontro com Jesus na comunidade eclesial.

A equipe do SAB-C está desenvolvendo o novo modelo de itinerário, composto por encontros presenciais, atividades remotas, jogos formativos e vídeos explicativos. E, aos poucos, serão disponibilizados para as equipes paroquiais da Animação Bíblico-Catequética.

 

Catequese familiar

Uma nova realidade já desponta, com a disponibilização aos catequistas de material para impressão suplementado por vídeos. A iniciativa é da Paróquia São Pedro de Xangri-lá, contando com uma pequena equipe de redação e produção: Pe. Marlon Ramos Lopes, Pe. Laudemir Demarchi, Pe. Gilberto, Ms. Janaína Réus e Loeci Monteiro. O material para impressão é partilhado para toda a Diocese pelo grupo de coordenações paroquiais e os vídeos ficam disponíveis no site da Diocese.

Trata-se de uma catequese familiar, na qual o catequista tem um papel balizador, na retaguarda, como ponte entre a comunidade de fé e os iniciandos. Os catequizandos participam das celebrações nas comunidades no Dia do Senhor e recebem o roteiro impresso para o encontro que realizam com suas famílias. O encontro segue 4 passos: oração, leitura orante da Escritura, a fé da Igreja e a atividade semanal. Cada catequizando partilha com o catequista as questões que aprofundou em família.

Para ajudar na iniciação à vida cristã, e não somente na preparação para a recepção dos sacramentos, é disponibilizado, no site da Diocese, um vídeo complementar ao encontro que auxilia para toda a vida adulta do cristão. O itinerário, em tempo de pandemia, prevê 34 encontros em família, que poderão ser realizado ao longo de um ano.

Abaixo, segue alguns dados sobre a experiência da Catequese Familiar durante a pandemia, levantados pela Comissão de Animação Bíblico-Catequética:

– São mais de 100 catequizandos inscritos: apenas uns 5 por cento estão atrasando a entrega das atividades.

– Os pais mandam mensagens para os catequistas agradecendo a oportunidade de pessoalmente estar transmitindo a fé que receberam; como o material não é “infantilizado”, mesmo os pais estão aprendendo, segundo o relato de alguns.

– Na celebração da comunidade os catequizando aprendem presencialmente aquilo que só a liturgia, com sua multiplicidade de linguagens, pode ensinar. Nas casas aprendem o que o estudo pode ensinar.

– A presença de famílias nas celebrações aumentou. Algumas pessoas que já vinham às celebrações antes da catequese agora aparecem acompanhadas de seus cônjuges.

 

 

Deixe o seu comentário





* campos obrigatórios.