Notícias da diocese › 02/06/2020

Clero da Diocese de Osório recebe orientações da CNBB sobre retorno às atividades litúrgico-pastorais

Na última segunda-feira, 1º de junho, o bispo da Diocese de Osório, dom Jaime Pedro Kohl, encaminhou ao clero – padres, freis e diáconos – as orientações da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) para a celebração dos sacramentos na medida que vão sendo retomados.

De acordo com dom Jaime, “estas orientações e cuidados devem ser observados em nossa Diocese de Osório, atendendo também normas específicas de cada município.”.

“Nossa responsabilidade de pastores é ainda maior nesse tempo em que alguns possam passar por momentos de medo e desconforto gerado pelo distanciamento social. Que o Espírito Santo nos ilumine no achar formas de manifestar nossa proximidade e paternidade espiritual”, afirmou dom Jaime ao clero da Diocese.

 

Retomada das atividades

Em nota, a CNBB coloca que aos poucos, as autoridades políticas estaduais, observando as medidas sanitárias, vão permitindo a abertura de atividades após um período mais intenso de isolamento social como medida para contenção do avanço do novo coronavírus. Entre as ações permitidas encontra-se a possibilidade do retorno da realização de celebrações religiosas e missas.

A Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) enviou a todo episcopado brasileiro, dia 31 de maio, um documento de oito páginas com as “Orientações Litúrgico-Pastorais para o retorno às atividades presenciais”. A orientações foram elaboradas pela Comissão Episcopal Pastoral para a Liturgia da CNBB a partir de experiências de dioceses do Brasil e do exterior. Cabe, contudo, ao bispo de casa Igreja Particular, à luz de cada realidade local, orientar os fieis neste retorno às atividades presenciais.

O documento sistematiza uma série de orientações gerais para a organização e realização das missas e os cuidados que devem ser tomados antes, durante e após cada celebração. Também apresenta orientações específicas, como o ritual para os batizados. Um cuidado necessário é a orientação aos fieis que apresentarem sintomas e que integram os grupos de risco a ficarem em suas casas, onde as comunidades devem se organizar para ministrar a comunhão.

Outra indicação também é que as comunidades fixem em cartazes as observações relativas à higiene para evitar a disseminação do novo coronavírus. A utilização de máscaras, que poderão ser tiradas apenas no momento da comunhão, será obrigatória.

Abaixo, confira o documento na íntegra:

Fonte: CNBB

Deixe o seu comentário





* campos obrigatórios.