A Voz do Bispo › 05/10/2018

Voto Consciente ou Voto Útil?

Está chegando a hora de ir às urnas para escolher os governantes que deverão nos representar no poder executivo e legislativo, tanto a nível estadual como federal. Sabemos que é de suma importância fazermos isso com muita responsabilidade, pois é condição indispensável para o progresso e o bem estar do povo brasileiro.

Sabemos que tanto o Presidente como o Governador, por mais boa vontade que tenham, muito pouco podem fazer sem legisladores conscientes e esclarecidos sobre a missão que lhes cabe na definição dos rumos do país e nos projetos a implementar.

Encontramos pessoas que dizem: “Não quero perder meu voto!” Votar só em quem tem possibilidade de efetivamente ganhar para não “perder o voto” caso seu candidato não seja eleito, chama-se isso de “voto útil”. Esses se orientam unicamente pelas pesquisas e boca de urna. Assim pensando nunca vamos mudar o Brasil, estaremos elegendo sempre os mesmos e não renovamos o quadro que nos representa.

Precisamos do “voto consciente”, aquela escolha de candidato feita a partir da proposta de governo apresentada e posturas de vida e valores em conformidade com o bem comum e coerência de vida. Esse eleitor não muda de opinião sem antes conhecer o candidato e o seu programa de governo.

Claro que ninguém gosta de perder, mas o eleitor consciente não troca de posição por medo que aquela pessoa que mostra ter as qualidades e condições de representá-lo, não consiga se eleger. Não podemos cair nessa tentação, caso contrário, nunca teremos a renovação e as mudanças que a nação precisa.

Algumas indicações da Cartilha da CNBB sobre as características dos candidatos a serem preferidos: Ter efetiva competência política e reconhecida capacidade de liderança. Defender a vida desde sua concepção até o seu fim natural. Defender a família segundo o plano de Deus. Possuir histórico de comprometimento com as causas dos mais necessitados. Ter atitude de respeito para com os adversários políticos. Manifestar um comportamento público que inspira confiança e credibilidade.

Candidatos a serem evitados: Pessoas reconhecidamente desonestas, independente da sigla partidária ou posição nas pesquisas. Que prometem fazer aquilo que não é de sua competência. Que tentam comprar seu voto. Colocam o lucro e a economia acima de tudo. Fazem da política uma profissão. Apresentam atitudes agressivas, tanto física como moralmente. Mudam frequentemente de partido, seguindo suas conveniências. Que são arrogantes, demagogos, apresentam-se bem, mas não apresentam propostas efetivas. Atentam contra vida dos pobres e sua dignidade. Não inspiram confiança.

Voto inteligente é o voto consciente! ‘Voto útil’ pode ser pouco útil.

Ajudemos a construir nossa Pátria amada: BRASIL!

 

Para refletir:

1. Nunca foi tão complicada e ao mesmo tempo tão importante uma eleição no Brasil. Estamos percebendo o drama? Conseguimos ver a importância da nossa participação? Como me estou preparando para votar?

2. Percebo que o meu voto tem muito valor? Estou decidido a discernir bem na escolha dos meus candidatos? Já fiz minha cola para não trocar meu voto levado pela emoção?

3. Que tal, nesse dia 7 de outubro, antes de sair para votar, invocar o Espirito Santo de Deus para nós e para nossos irmãos e irmãs eleitores?

 

Textos bíblicos: Sl 127 (128); Mc 10, 13-16; Ez 36, 22-27.

 

 

 

 

Deixe o seu comentário





* campos obrigatórios.