A Voz do Bispo › 15/10/2021

Vivo a alegria de ser missionário

Se no domingo passado, Jesus relativizou os bens materiais e mostrou que não são esses que fazem a felicidade do ser humano, no evangelho deste domingo relativiza o poder, dizendo que entre os seus não deve ser assim, ou seja, o poder do cristão não é um poder de mando sobre os outros, mas serviço. A exemplo Dele que não veio para ser servido, mas para servir e dar a sua vida em resgate para muitos.

O mês missionário nos provoca a situarmo-nos na Igreja e descobrir nossa missão. Se Jesus é missão – enquanto enviado do Pai a salvar a humanidade – se a Igreja é missão – enquanto enviada por Jesus como sacramento de salvação de todos os homens, com o nosso crer e viver na alegria cooperamos com Jesus e com sua Igreja na Missão que é de Deus.

As Diretrizes Gerais para a Ação Evangelizadora da Igreja no Brasil (DGAE) da Igreja no Brasil nos ajudam a compreender que, enquanto membros desta Igreja que é por sua natureza missionária, todos temos responsabilidades com a missão Ad Gentes:

Uma Igreja em estado permanente de missão nos leva a assumir a missão ad gentes, dando de nossa pobreza, em outras regiões e além-fronteiras. Uma Igreja particular não pode esperar atingir a plena maturidade eclesial para, só então começar a se preocupar com a missão para além de seu território. A maturidade eclesial é consequência e não apenas condição de abertura missionária“, conforme Doc. 109, nº 78.

Se queremos ser a Igreja de Jesus precisamos assumir as atitudes de Jesus, o missionário do Pai, que veio para ser servir e não para ser servido. Sem espírito de serviço, vivido na alegria, a semelhança de Jesus, não há vida missionária verdadeira.

O Papa Francisco continua a insistir que precisamos colocar-nos em movimento, partir, ir ao encontro de quem ainda não conhece Jesus, que carece de bênçãos.

Não dizemos mais que a Igreja que tem uma missão, mas que a Missão tem a Igreja.  Sempre que a Igreja, conduzida pelo Espírito Santo, entra em contato com os outros reencontra a si mesma. E todas as vezes que sai de si e se abre aos outros partilhando sua vida é missionária.

Hoje, todos somos chamados a uma nova ‘saída’ missionária. Cada cristão e cada comunidade há de discernir qual é o caminho que o Senhor lhe pede. Todos somos convidados a aceitar esta chamada: sair da própria comodidade e ter a coragem de alcançar todas as periferias que precisam da luz do Evangelho (cf. EG 20).

Na bonita mensagem para a Jornada Missionária Mundial, o papa deixa claro que “hoje, Jesus precisa de corações capazes de viver a vocação como uma verdadeira história de amor”. Só no amor e na alegria se entende a Missão e suas implicações. Sim, Missão é servir! Missão é amar! Missão é viver na alegria de ser missionário.

 

Para refletir: Já descobri meu lugar na Igreja? Qual é minha missão? Como a estou vivendo? Acompanho as propostas da novena missionária, através das mídias? Sinto-me missionário? O que preciso fazer para ser mais missionário?

Textos bíblicos: Is 53, 10-11; Heb 4, 14-16; Mc 10, 35-45)

 

Deixe o seu comentário





* campos obrigatórios.