A Voz do Bispo › 16/01/2021

Vinde e vede

Sabemos que o ser humano não nasce pronto. Nasce nu, totalmente vulnerável e dependente dos outros, especialmente da mãe. Precisa de muitos cuidados e muito amor para sobreviver e se desenvolver sadiamente. Só pensar que precisa de cerca de um ano para ficar ereto sobre as próprias pernas e caminhar sozinho. Mas traz dentro de si uma riqueza imensa, um sonho de Deus – único e irrepetível – um mistério de amor. Por outro lado, o ambiente em que cresce vai determinar em muito a sua vida.

Chamando alguém à vida – acreditamos que ninguém nasce por acaso – Deus coloca no coração humano uma vocação que Ele mesmo ajuda a descobrir e realizar, contando que escutemos a sua voz. A todos é dado um momento de graça, eis que o céu se abre e o Espírito é derramado e o recado é dado: “Este é o meu filho muito amado!”

Com esse recado suave que recebemos, completando as revelações do Natal e da Epifania, a liturgia deste final de semana nos apresenta a vocação de Samuel e o chamado dos primeiros discípulos como sinal da Missão de Jesus e que nos leva a pensar e rezar a questão vocacional, tema sempre muito oportuno.

Depois dos sinais que João Batista recebera por ocasião do batismo de Jesus, vendo-O passar, ele diz a dois de seus discípulos: ‘eis o Cordeiro de Deus!’ Os dois discípulos se puseram a segui-lo. Vendo que os seguia Jesus perguntou: ‘o que estão procurando?’ Eles disseram: ‘onde moras?’ – como se fosse perguntar: qual é o teu segredo? – Jesus respondeu: ‘vinde ver’. Foram e permaneceram com Ele naquele dia. A experiência foi tão marcante que o evangelista deixa escrito: “Era por volta das quatro horas da tarde”.

Se prestarmos atenção em todo chamado Deus se serve de alguém, de um testemunho para ajudar a perceber a sua proposta de vida. O testemunho de João Batista, atiçou a curiosidade dos primeiros discípulos a dar-se conta da presença de Jesus – o Cordeiro de Deus – e buscar o encontro com Ele. Nesse encontro com Ele descobriram Seu “mistério” e nunca mais o deixaram.

Essa dinâmica vocacional do “Vinde e vede”, é a melhor metodologia vocacional. Os jovens, mesmo que não pareça, estão inquietos, buscando descobrir sua vocação e missão. Não poucos sofrem com isso. Só ver a dificuldade de se definirem com relação aos estudos ou profissão, a selar uma relação definitiva com alguém, ou se aventurar numa entrega radical de vida consagrada para sempre.

O testemunho de quem já fez o caminho pode ajudar. André foi dizer a seu irmão Simão: “Encontramos o Messias”. E o conduziu a Jesus que, olhando-o nos olhos, lhe mostrou o Caminho. E que Caminho!

Partilhando experiências do encontro com Ele vão se abrindo oportunidades novas, para outros encontros com Ele. O chamado, direta ou indiretamente, é sempre de Deus. A resposta é pessoal. Como canta o Pe. Zezinho: “A decisão é tua!”

 

Para refletir:

Qual foi o momento em que tomei consciência que existo e me perguntei sobre qual o projeto de Deus para mim?

Consigo silenciar e dar a oportunidade a Deus de me falar ao coração e revelar o seu amor?

Ou tenho medo que me peça algo que não estou disposto a dar?

Será que não é isso que falta para um sentido profundo da minha vida?

Por que prefiro ir adiando uma resposta mais concreta e comprometida? Até quando vou esperar?

 

Texto bíblico: 1Sm 3, 3b-10.19; 1Cor 6, 13-20; Jo 1, 35-42; Sl 39(40).

 

Deixe o seu comentário





* campos obrigatórios.