A Voz do Bispo › 24/08/2018

Ministérios Leigos  

A quarta semana do mês vocacional é dedica aos ministérios leigos. Todos os batizados são chamados a ser sal da terra e luz do mundo, portadores do múnus comum de sacerdote, profeta e rei. Todos, discípulos missionários de Jesus e anunciadores da Boa Notícia.  

Muitos são os ministérios e serviços dos leigos. O primeiro é dar testemunho de Jesus Cristo, lá onde vive. Missão que começa em casa, se amplia na comunidade e deve atingir e iluminar o mundo. 

Os documentos deixam claro que a primeira missão do cristão leigo é no mundo. Com sua vida cristã assumida e alimentada na Palavra e na Eucaristia dá sua contribuição na edificação do Reino de Deus, transformando o mundo por dentro. 

Faz parte do ministério do leigo assumir responsabilidades quer no âmbito eclesial como na sociedade civil. É sua missão estar lá onde se decidem as políticas públicas: poder executivo, legislativo e judiciário, como também nos Conselhos de Direitos e em todas as profissões.  

Como nos ensina o Papa Francisco: “A missão no coração do povo não é uma parte da minha vida, ou um ornamento que posso pôr de lado; não é um apêndice ou um momento entre tantos outros da minha vida. É algo que não posso arrancar do meu ser, se não me quero destruir. Eu sou uma missão nesta terra, e para isso estou neste mundo. É preciso considerarmo-nos como que marcados a fogo por esta missão de iluminar, abençoar, vivificar, levantar, curar, libertar.” (EG 273). 

Cabe a vocês leigos e leigas – homens e mulheres da Igreja no coração do mundo e homens e mulheres do mundo no coração da Igreja – fazer essa ponte entre Igreja e Sociedade. 

Lembremos que “na Igreja todos são sujeitos, sendo cada qual investido de missão específica, conforme os dons que recebeu. Ser sujeito pode significar o exercício de um ministério ou serviço na Igreja e na sociedade, mas também a vivência da condição cristã nas formas de vida mais rotineiras e até mesmo institucionalmente invisíveis, seja do ponto de vista eclesial, seja do ponto de vista social e político. Ao exercer os papéis de mãe e de pai ou determinada profissão no mundo do trabalho, cada cristão exerce sua missão na medida em que orienta sua vida a partir da pessoa de Jesus Cristo e do seu Reino”. 

Isto significa que todos somos revestidos de algum ministério, mesmo que não todos sejam reconhecidos como tais. Os ministérios dos cristãos leigos e leigas podem ser ‘reconhecidos’, ‘confiados’ e ‘instituídos’. 

Louvamos a Deus pelos que existem, certos que muitos outros vão surgir a partir das necessidades e da ação do Espírito na vida do povo.  

 

Para refletir 

1. Como cristão leigo, consigo me ver nesta reflexão? Sinto-me contemplado? 

2. Se tivesse que dar nome ao ministério que exerço na Igreja e no mundo, como poderia ser chamado? 

3. Compreendo que a igreja e o mundo precisam do meu ministério, serviço, colaboração? 

 

Textos Bíblicos: Js 24,1-2.15-18; Jo 6, 60-69; Mt 5, 13-16. 

 

 

Deixe o seu comentário





* campos obrigatórios.