A Voz do Bispo › 13/10/2019

Levanta-te e vai!

Essa palavra do evangelho deste domingo, 13 de outubro, me dá motivo para uma reflexão sobre a missão, tema central neste mês de outubro, por ser convocado pelo Papa como “Mês Missionário Extraordinário”.

O leproso que volta para agradecer a Jesus pela cura, recebe esta resposta/envio: “Levanta-te e vai! Tua fé te salvou”. O contexto se situa no protesto de Jesus pela falta de gratuidade dos outros nove que também foram agraciados com a mesma cura. Sabemos que a gratuidade é um ingrediente importante para assumir e viver nossa vocação missionária.

Podemos dizer que sem fé e sem gratuidade não existe missão. Sem fé não tem como encarar os desafios da missão, porque missão é, sobretudo, partilha gratuita do dom recebido: tornar Jesus conhecido e amado é nossa alegria.

Na sua mensagem para o Dia Mundial Missionário, o papa Francisco falando da missão da Igreja no mundo, afirma que “a fé em Jesus Cristo dá-nos a justa dimensão de todas as coisas, fazendo-nos ver o mundo com os olhos e o coração de Deus; a esperança abre-nos aos horizontes eternos da vida divina, de que verdadeiramente participamos; a caridade, que antegozamos nos sacramentos e no amor fraterno, impele-nos até aos confins da terra.”.

E diz também que “uma Igreja em saída até aos extremos confins requer constante e permanente conversão missionária. Quantos santos, quantas mulheres e homens de fé nos dão testemunho, mostrando como possível e praticável esta abertura ilimitada, esta saída misericordiosa ditada pelo impulso urgente do amor e da sua lógica intrínseca de dom, sacrifício e gratuidade (cf. 2 Cor 5, 14-21)!”.

À Maria, nossa Mãe, confiamos a missão da Igreja. Unida ao seu Filho, desde a encarnação, a Virgem colocou-se em movimento, deixando-se envolver totalmente pela missão de Jesus; missão que, ao pé da cruz, havia de se tornar também a sua missão: colaborar como Mãe da Igreja para gerar, no Espírito e na fé, novos filhos e filhas de Deus.

Nossa Senhora Aparecida, padroeira do Brasil, homenageada nesses dias em nossas comunidades, deixando-se encontrar em dois momentos diferentes nas águas do rio Parnaíba por pessoas simples e de fé pura, nos mostra o caminho da missão: lançar as redes com confiança em águas mais profundas, com o único objetivo de oportunizar o encontro com Jesus, caminho para o Pai e para a vida plena.

Jesus está passando nesse tempo, em modo todo particular, e convocando todos a levantar-se e ir com fé, comunicar aos irmãos e irmãs que Deus os ama e a todos espera para o abraço integrador na comunidade cristã.

 

Para refletir:

– Costumo ser agradecido com as pessoas no meu dia-a-dia? Ou dou tudo por devido, seja na família, no trabalho, como na comunidade?

– E na minha oração e relação com Deus? Só peço ou costumo agradecer?

– Essa palavra de Jesus “levanta-te e vai!” como ressoa para mim, hoje? Levantar-me de onde e ir para quem?

 

Textos bíblicos:

2 Reis 5,14-17; 2 Tm 2,8-13; Lc 17,11-19; Sl 97(98).

 

 

Deixe o seu comentário





* campos obrigatórios.