A Voz do Bispo › 08/09/2017

Frequentar as Sagradas Escrituras

Para a Igreja do Brasil, setembro é o mês da Bíblia. Ocasião muito oportuna para verificar como está a nossa relação com a Palavra de Deus escrita: as Sagradas Escrituras. Que lugar ocupam na nossa vida, na nossa casa, estes textos sagrados?

São Jerônimo já afirmava que “desconhecer a Sagrada Escritura é ignorar o próprio Cristo”, portanto, se queremos ser cristãos autênticos, se queremos conhecer e encontrar a Jesus precisamos frequentar as Sagradas Escrituras.

Quando frequentamos a Bíblia, deixando que ela nos fale ao coração, dóceis à ação do Espírito Santo que inspirou seus autores, percebemos que ela nos abre para o encontro com Deus e para a Missão, ao anuncio da Boa Noticia aos que ainda não foram alcançados pela graça da evangelização.

São Paulo escrevendo a Timóteo dizia: “Toda a Escritura é inspirada por Deus e útil para ensinar, para repreender, para corrigir e para formar na justiça. Por ela, o homem de Deus se torna perfeito, capacitado para toda boa obra” (2Tm 3,16).

A nossa Campanha: “Bíblia em todas as mãos e a Palavra no coração” vem acompanhada com uma proposta de Leitura Orante da Bíblia, que visa ajudar a entender melhor a Palavra e abrir caminhos para encontrar Deus, conhecer sua santa vontade e receber a força de realizá-la. Esse método de leitura é muito oportuno para quem deseja nutrir sua fé com um alimento saudável e genuíno, para quem deseja construir sua casa sobre a rocha como nos pede Jesus no Evangelho.

Se queremos ser missionários de Jesus, precisamos aprender Dele o jeito certo de evangelizar, de aproximar as pessoas e transmitir-lhes a alegria do amor misericordioso do Pai. E onde encontramos isso senão nas páginas Sagradas?

Só sentiremos o anseio e a paixão de iluminar todos os povos com a luz de Cristo, se antes nós mesmos nos encontramos com essa Luz que é Jesus na leitura, meditação, oração e contemplação da Palavra.

Somente contagiaremos os irmãos a quem formos enviados se formos tocados e sustentados pela promessa de Jesus: “Ide fazer discípulos entre todas as nações… Eis que estarei convosco todos os dias, até o fim dos tempos” (Mt 28,19-20).

A Igreja sente-se responsável por anunciar o Evangelho a todos os povos e não tem como fazer isso sem a força que lhe vem da Palavra salvadora.

O Evangelho, fermento libertador, precisa ser vivenciado antes de ser anunciado, caso contrário não será fonte de transformação. E o caminho é o da internalização da Palavra.

Convido todas as comunidades a aderirem a Campanha da Bíblia, que a nossa diocese de Osório lançou e vai se estender até setembro de 2019, a não medirem esforços na sua divulgação, que isso seja tema de conversa constante nos nossos grupos e sejamos criativos no ajudar a fazê-la chegar a todas as famílias, possivelmente a cada católico de nossa Diocese.

Que a Bíblia seja a companheira de todas as horas, nosso livro de cabeceira. Não é fantasia ou pura imaginação tê-la junto a nós como alguém e não como alguma coisa ou mero livro. Esse é o nosso Livro, presença do Deus vivo que deseja entrar em diálogo conosco, iluminar nossos momentos de dor e de alegria, de tristeza e de esperança.

A Leitura Orante da Bíblia pode ajudar a ir fundo no encontro com Deus que nos conduz ao deserto e nos fala ao coração através das Sagradas Escrituras.

Conseguem perceber que o encontro com a Bíblia é encontro com alguém vivo e presente? Alguém que fala conosco?

Por isso não pode ler a Bíblia como lemos um romance ou outro livro qualquer. Ela foi escrita por homens e em linguagem humana, mas inspirados por Deus. Por isso eles trazem a verdade. Não é letra morta, mas Palavra de Deus viva e eficaz, que realiza aquilo que diz. Como dizia acima, Ela tem um poder transformador, de santificar e converter o ser humano, colocando-o no caminho do bem.

Na liturgia temos a tradição de, após a proclamação do Evangelho, beijar a Palavra. Que esse gesto bonito de afeto seja o sentimento que acompanha todos nós quando frequentamos as Sagradas Escrituras.

A Bíblia não pode ser um ornamento de sala de espera para visitante ver, mas alimento cotidiano para sustentar os discípulos missionários de Jesus.

Não percamos as oportunidades para presentear as pessoas com esse precioso dom e assim estaremos sem querer colaborando com a evangelização.

Jesus, na Palavra deste domingo, nos garante que onde dois ou três estiverem unidos no seu nome Ele estará com eles. E tudo o que pedirem ao Pai no seu nome será concedido. Que bonito encorajamento aos nossos Grupos de Famílias continuar encontrando-se em torno da Palavra. Tenham certeza: Ele está ali e escuta vossa prece.

Dom Jaime Pedro Kohl

Bispo Diocesano

Deixe o seu comentário





* campos obrigatórios.