A Voz do Bispo › 29/03/2018

Em Cristo ressuscitado somos todos irmãos

Páscoa, etimologicamente falando, significa passagem. Para os hebreus, passagem da escravidão do Egito para a liberdade rumo à terra prometida. O Cristianismo assumiu todo o simbolismo da festa hebraica aplicando-o à pessoa de Jesus, o Libertador, o Cordeiro de Deus que tira o pecado do mundo.

O lema da Campanha da Fraternidade 2018: “vos sois todos irmãos” expressa os efeitos da Páscoa de Cristo, ou seja, a paixão, morte e ressurreição de Jesus reconciliou a humanidade com o Pai e restabeleceu a paz. Em Cristo não há mais nem judeu nem grego, simplesmente um povo de irmãos e irmãs.

Há quanto tempo sabemos disso e quanto estamos longe de vivermos essa unidade e comunhão até mesmo entre nós cristãos, assumindo-nos, como de fato somos, todos irmãos e irmãs em Cristo ressuscitado.

A ressurreição de Jesus faz novas todas as coisas, rejuvenesce, ergue, dinamiza, desperta, encanta, convida, envia… Páscoa é a festa da vida, do amor e da paz! Deixemo-nos envolver pelo espírito do Ressuscitado que a alegria e paz correrão até nós como um rio!

Como lemos em 2Tm 1,10: “Esta graça foi agora manifestada pela aparição de nosso Salvador, Cristo Jesus, o qual destruiu a morte e fez brilhar a vida e a imortalidade por meio do evangelho”.

Com a ressurreição iniciou um novo tempo, uma corrida que nunca mais parou. A partir do sepulcro vazio, das aparições do ressuscitado e do vento impetuoso de Pentecostes a maratona continua, até quando tiver uma alma a ser informada da mais estupenda notícia já revelada aos homens: “o amor venceu!” Entramos no Kairós: vivemos sob o regime da Graça!

Vamos globalizar a boa e feliz notícia da Páscoa qual precioso presente oferecido gratuitamente por Deus, que fez de todos os povos um mundo de irmãos.

Já pensaram como a vida seria diferente se todos os homens e mulheres do mundo acolhessem e assumissem essa verdade: “em Cristo Ressuscitado somos todos irmãos?”

A violência não existiria mais e esse seria o maior milagre da história. Na verdade, essa realidade já está dada e acreditamos que é só questão de tempo para se concretizar.

A Páscoa possui um dinamismo missionário potente que empurra para fora, para continuar a corrida iniciada por Maria Madalena, seguida por Pedro e João, pelos discípulos de Emaús, pelo cético Tomé e por muitos outros que nos dias de ontem e de hoje, continuam saindo e dando testemunho do Ressuscitado, até o dia em que seremos um só rebanho, guiados pelo único Mestre e Pastor: Cristo Jesus!

Páscoa não é apenas um momento, um dia, mas: “um eterno, Aleluia!” Sabemo-nos já ressuscitados e revestidos de Cristo, mas essa riqueza e beleza só a conheceremos plenamente na feliz eternidade.

Que o Ressuscitado passando por nossas casas, deixe cair o doce orvalho da madrugada: a consciência que Nele somos todos irmãos e como tais somos chamados a viver!

Feliz e abençoada Páscoa!

 

Para refletir:

1. Que sentido tem a celebração da Páscoa para mim e minha família? Como posso celebrar este ano a Santa Páscoa?

2. Que tal restabelecer uma relação ferida e que pede uma atitude de reconciliação e paz?

3. Que gesto posso realizar que expressa a alegria da Ressurreição e a vida que se renova na minha família?

 

Texto bíblico: Mc 16, 1-7; Jo 20, 1-9; Rm 6, 3-11.

 

 

Deixe o seu comentário





* campos obrigatórios.