A Voz do Bispo › 01/06/2018

Ele está no meio de nós

Uma das coisas boas que o Brasil preserva da cultura cristã católica é a festa de Corpus Christi, sinal da presença de Deus no meio de nós. Esse jeito simples e singelo que Jesus encolheu para comunicar conosco, nos ajuda a senti-lo próximo de nós, caminhando conosco e sustentando a nossa travessia pelas estradas e conflitos da história. Por isso cantamos: “Ele está no meio de nós, sua Igreja, povo de Deus!”

Depois de celebrar a Eucaristia, na qual comungam o Corpo de Cristo, as comunidades cristãs lhe prestam culto e adoração, levando solenemente em procissão a Hóstia Consagrada pelas ruas e praças da cidade, entre cânticos de louvores, tradição esta que costuma envolver os grupos, pastorais e movimentos das comunidades. É bonito ver a alegria e a disposição das crianças e jovens na confecção dos tapetes que decoram artisticamente os lugares onde Jesus Eucarístico vai passar.

Esta celebração religiosa não é um simples evento folclórico, revela a fé profunda do povo na palavra de Jesus que depois de ter dado graças ao Pai, tomou o pão e o vinho, os abençoou e deu aos seus discípulos dizendo: “isto é o meu corpo”, “isto é o meu sangue”. Ainda ordenou: “fazei isto em memoria de mim!”.

Na mesa da Palavra, Deus revela seu amor, mostra o caminho a seguir, orienta, dá força e conforta. Na mesa do Pão, dá-nos seu filho amado como alimento para as nossas fraquezas, como remédio para as nossas doenças. Por isso o olhar da Igreja volta-se continuamente para o seu Senhor, presente no sacramento do Altar, onde descobre a plena manifestação do seu amor e sua presença real.

Do corpo doado e do sangue derramado deveríamos ter aprendido, há mais tempo, a lição da partilha, do amor fraterno, da solidariedade e da justiça. Mas parece que isso custa a entrar no coração das pessoas desse nosso amado Brasil. A mensagem que vem do Corpus Christi é um convite a sairmos de nós mesmos para irmos ao encontro dos afastados, necessitados, excluídos para convidá-los e trazê-los para o convívio da festa da partilha.

Algumas comunidades traduzem esse convite enfeitando os lugares por onde passa a procissão com donativos de alimentos e roupas a serem distribuídas às pessoas necessitadas de nossas comunidades.

Deixemo-nos fascinar e atrair pelo mistério que os Tabernáculos de nossas igrejas encerram. Junto Dele prostremo-nos em adoração e oração pelo Brasil que passa por uma crise moral e ética nunca vista.

É consolador saber e crer que “Ele está no meio de nós, sua igreja, povo de Deus!”

 

Para refletir:

1) Que significado tem para mim Corpus Christi? Como costumo participar?

2) As comunidades católicas conservam o pão consagrado nos tabernáculos em suas igrejas. Como vejo essa prática? Tenho o hábito de fazer pequenas visitas a Cristo ali presente?

3) Uma prática de piedade que sustenta muitas pessoas no seguimento de Jesus é a Adoração Eucarística. Tenho participado alguma vez? Que tal alguma experiência desse tipo?

 

Textos bíblicos: 1Cor 11,23-26; Mc 14, 22-25; Jo 6,30-38

 

 

Deixe o seu comentário





* campos obrigatórios.