A Voz do Bispo › 18/04/2019

É Páscoa mais uma vez

A Páscoa hebraica celebrava a passagem da escravidão do Egito para a liberdade na terra prometida. De um estado de opressão e exploração para uma condição, mesmo que mais precária, mas digna de pessoas e povo que constrói o seu destino.

O lema da Campanha da Fraternidade deste ano: “serás libertado pelo direito e a justiça”, traz à tona o conteúdo da Páscoa cristã. O resultado da paixão, morte e ressurreição de Jesus é a libertação, a remissão dos pecados, a nossa salvação.

Esta salvação consiste na passagem da morte para a vida, do pecado para a graça. Todos os que acolhem Jesus de Nazaré como Filho Unigênito de Deus, nele acreditam e se fazem batizar em nome da Trindade são agraciados com a vida nova: o Espirito Santo de Deus derramado nos corações dos que creem.

A ressurreição de Jesus faz novas todas as coisas, rejuvenesce, ergue, dinamiza, desperta, encanta, convida, envia… É festa da vida! Deixemo-nos iluminar e envolver pela alegria da ressurreição!

Todas as narrações da ressurreição trazem a marca do encanto, surpresa, esperança, encorajamento, da boa notícia que precisa ser levada aos confins da terra: “Alegrai-vos. Não temais! Ide anunciar a meus irmãos que os precedo na Galiléia”.

Com a ressurreição começou um tempo novo: Kairós. A partir do sepulcro vazio, das aparições do ressuscitado e do vento impetuoso de Pentecostes a saída continua até quando tiver uma alma a ser alcançada pela mais estupenda notícia já revelada aos homens: “Jesus ressuscitou e está sentado a direita do Pai, advogando por nós”.

Quem sabe que, com a facilidade que a mídia moderna tem de globalizar tudo, possa globalizar também a Boa Nova da Páscoa, qual precioso presente oferecido gratuitamente por Deus a todos os homens. Já pensaram que maravilha seria, se os dois terços da humanidade acolhessem, em poucos dias, a mensagem pascal? Teria milagre maior do que este?

A Páscoa carrega consigo um dinamismo missionário potente que empurra para fora, dando continuidade a corrida iniciada por Maria Madalena, Pedro e João, pelos discípulos de Emaús, pelo cético Tomé e muitos outros, que nos dias de ontem e de hoje, vão pelo mundo dando testemunho do Ressuscitado, até o dia em que seremos um só rebanho e um só pastor em Cristo Jesus.

Mesmo em meio as lutas do dia a dia continuemos cantando: “A Páscoa não é só hoje, a Páscoa é todo dia…”, porque Cristo prometeu permanecer conosco para sempre, até a consumação dos séculos.

Sim, é Páscoa mais uma vez. Não deixemos que se reduza a um simples evento, mas causa de vida e renovação da esperança cristã.

 

Para refletir:

  • Como estou preparando-me para celebrar a Páscoa?
  • Que tal participar das celebrações de todo o Tríduo Pascal de minha paróquia ou comunidade?
  • Porque não um gesto concreto de caridade com alguma situação que clama por solidariedade? Um encontro de família? Uma visita surpresa?

 

Textos bíblicos: At 10, 34.37-43; Jo 20, 1-9; Lc 24, 13-35; Sl 117.

 

Deixe o seu comentário





* campos obrigatórios.