A Voz do Bispo › 08/02/2018

Carnaval combina com Romaria?

Por Dom Jaime Pedro Kohl, bispo da Diocese de Osório

Vem aí mais um carnaval, a maior festa popular do Brasil e alguns dizem do mundo. Não é tanto isso que nos interessa e, sim, a ocasião de celebrarmos mais uma vez a Romaria da Terra do RS.

A Diocese de Osório sente-se honrada em sediar a 41º edição, no próximo dia 13 de fevereiro de 2018. É oportunidade para um carnaval diferente, desta vez não mergulhando nas águas salgadas do Atlântico, mas no verde da Mata Atlântica, rica em biodiversidade: flora, fauna, peixes e com uma paisagem vislumbrante e tranquila, que comunica a paz e a harmonia da criação.

Sentimo-nos muito felizes em acolher os irmãos e irmãs do nosso Rio Grande do Sul e gostaríamos de propiciar uma experiência de amizade verdadeira, alegria genuína e luta não violenta, marcada pela simplicidade e corresponsabilidade.

As pessoas nos conhecem como a diocese das praias, mas ao menos em dois terços do nosso território predomina a produção agrícola, trabalho direto com a terra. A agricultura familiar e a produção ecológica são a marca da nossa região. A preocupação com terra, água e meio ambiente combina com a vocação turística da região e queremos muito preservá-la.

O tema “Mulheres Terra: resistência, cuidado e diversidade” tem tudo a ver conosco e combina perfeitamente com a natureza delicada e aconchegante que encontramos aqui, seja pelos verdes campos, as montanhas enfeitadas com seus bananais misturados com a floresta pujante, as areias mansas e a brisa suave que nos acaricia da manhã até a aurora.

As mulheres daqui nos ensinam o cuidado que devemos ter com a biodiversidade, o respeito pela vida nas suas várias formas e a resistência quando se trata da preservação da Casa Comum e dos valores cristãos como a vida e a família. Elas não têm receio de manusear a terra porque sabem que ela dá a comida limpa e bela para matar a fome dos frutos do seu ventre. Espertas em maternidade que são, conseguem lidar com ela muito melhor que nós homens, respeitando seus ciclos e estações.

Elas estão com a palavra para nos dizer com seus conhecimentos e sentimentos as lidas oportunas e convenientes com relação aos seus gemidos e clamores. Não será uma concorrência de gênero e nem um debate político, mas uma escuta serena daquelas que com sua capacidade de resistência nos ensinam o amor à vida e o respeito à sacralidade da mesma.

Esperamos a participação de um grande número de pessoas. Venham passar um dia bonito nesse canto do Rio Grande do Sul, cheio de encantos mil, buscando na inspiração das mulheres, forças para resistir à opressão e trabalharmos juntos – homens e mulheres – pela construção de um novo Brasil, livre das propinas e passado a limpo.

Na alegria do carnaval, vamos caminhar, caminhar… em romaria.

 

Para refletir:

1. Quando falamos em Romaria lembramos pessoas que se põem a caminho. Que caminho é esse da Romaria da Terra? Que tal participar para conhecer e sentir o gosto de caminhar com gente como a gente?

2. Homens e mulheres construindo juntos um mundo mais humano e mais irmão. Consigo perceber o apelo de um novo jeito de viver a relação homem mulher?

Deixe o seu comentário





* campos obrigatórios.