A Voz do Bispo › 10/09/2021

A fé sem as obras é morta

Continuando nossa reflexão sobre a BÍBLIA, vamos deixar a Palavra de Deus falar aos nossos corações, não como palavra humana, mas como de fato é: Palavra de Deus, Palavra inspirada por Deus, Palavra que realiza o que diz, Palavra de Salvação.

A Sagrada Escritura é Palavra viva e que tem poder de gerar vida quando acolhida na fé. Como bem diz o Apostolo Paulo escrevendo à comunidade dos Tessalonicenses: “Agradecemos a Deus sem cessar por vós terdes acolhido a pregação da Palavra de Deus que está produzindo frutos em vós que abraçastes a fé” (1Ts 2,13). Se está produzindo frutos é sinal que caiu em terra boa, vingou e os resultados são visíveis.

Nos Atos dos Apóstolos lemos: “E a Palavra de Deus crescia e o número dos discípulos multiplicava”. Se cresce e se multiplica só pode ser viva. É o que acreditamos, por isso a frequentamos como alguém que fala para nós, hoje.

Faz lembrar Lc 5,1-11, quando junto ao lago de Genesaré a multidão apertava-se ao redor de Jesus para ouvir a Palavra de Deus. Depois de ensinar às multidões, pede aos discípulos de avançar para águas mais profundas e lançar as redes para a pesca. Pedro depois de questionar responde: “Mestre, em atenção a tua palavra, vou lançar as redes”. Qual surpresa, as redes se encheram de peixes. Isso nos diz o poder da Palavra de Jesus e a importância de apostar Nela com fé. Nós acreditamos mesmo no poder da Palavra de Deus?

Na Liturgia da Palavra deste final de semana continuamos lendo e meditando Tiago, que é muito enfático em afirmar: “a fé, se não se traduz em obras, por si só está morta” (2,17). Essa afirmação é forte e parece contradizer com o que dizíamos na semana passada apresentando a carta de Paulo aos Gálatas. Ele contrapunha a posição dos judeus que afirmam que a salvação se dá pela prática da Lei, enquanto que para o cristianismo é a fé em Jesus Cristo que salva, ou seja, a ação da Graça de Deus dada aos homens pelo Batismo. Não, não há contradição entre Paulo e Tiago, mas complementariedade. A fé em Deus não se reduz a algo mágico, mas conduz a atitudes e obras concretas de solidariedade, de amor fraterno, de bem viver…

E em termos de salvação o evangelho dessa mesma Liturgia, Mc 8,35, arremata: “Quem quiser salvar a sua vida vai perdê-la; mas quem perder a sua vida por causa de mim e do Evangelho (Palavra) vai salvá-la”. Assim que, a fé acompanhada pelas obras conduz à Salvação.

 

Para refletir: Como é a minha fé? Acredito realmente na Palavra de Deus e no poder de Jesus? Como posso saber se minha fé é verdadeira e autêntica? O que expressam as minhas obras, o meu fazer?

 

Textos bíblicos: Is 50, 5-9; Tg 2, 14-18; Mc 8,27-35; Sl 114(115).

 

Deixe o seu comentário





* campos obrigatórios.