A Voz do Bispo › 10/08/2019

A família, como vai?

O segundo domingo do mês vocacional é dedicado aos pais. Falar dos pais é falar da família e nela a importância da vocação matrimonial.

A Igreja do Brasil aproveita a ocasião para promover a Semana Nacional da Família, cujo tema este ano é “A família, como vai?”. Assunto que foi objeto de estudo e reflexão na Campanha da Fraternidade em 1994.

O objetivo desta semana é conscientizar a população sobre a importância e relevância da família na formação da pessoa e do tecido social. Depois de 25 anos como está?

Pe. Jorge Alves Filho, assessor nacional da Comissão Vida e Família diz que a situação sócio econômica, hoje, não é muito diferente, mas nesse novo contexto, a Família, na Igreja, vai assumindo um papel mais central e decisivo.

Sabemos o quanto é importante para qualquer pessoa que vem a este mundo sentir-se acolhida e amada por pai e mãe unidos num só coração e numa só alma. É ali, no colo da mãe, no abraço do pai, no aconchego do lar, que a criança recebe sua iniciação à vida e à fé. Por isso os jovens precisam se preparar para assumir essa bela missão, o que nem sempre acontece.

O Papa na Amoris Laetittia insiste que “é preciso ajudar os jovens a descobrir o valor e a riqueza do matrimônio”.

E acrescenta que “a complexa realidade social e os desafios que a família é chamada a enfrentar atualmente, exigem um empenho maior de toda a comunidade cristã na preparação dos noivos para o matrimônio”.

Que “aqueles que se casam são, para as comunidades cristãs, um recurso precioso, porque, esforçando-se sinceramente por crescer no amor e no dom recíproco, podem contribuir para renovar o próprio tecido de todo o corpo eclesial: a forma particular de amizade que vivem pode tornar-se contagiosa, fazendo crescer na amizade e na fraternidade a comunidade cristã de que fazem parte” .

E entre as tantas outras coisas bonitas, encoraja: “Queridos noivos, tende a coragem de ser diferentes, não vos deixei devorar pela sociedade do consumo e da aparência. O que importa é o amor que vos une, fortalecido e santificado pela graça. Vós sois capazes de optar por uma festa austera e simples, para colocar o amor acima de tudo”.

O serviço que a família presta à sociedade, infelizmente, não sempre é reconhecido. A presença efetiva e afetivamente madura dos pais é determinante para os filhos.

Celebrar o dia dos pais é celebrar o dia da família, berço da vida e das vocações.

A todos os pais muita saúde, paz e felicidade!

 

Para refletir:

– Consigo perceber a importância que o tema do matrimônio e da família possuem para o futuro da Igreja e da sociedade?

– O que significa para você ser pai ou ser mãe, hoje? Como vai a sua família?

– E você jovem, que ideal de família desejas construir? Como estás te preparando para isso?

 

Textos bíblicos: Gn 2, 18-25; Lc 12, 32-34; Sl 32 (33).

 

 

Deixe o seu comentário





* campos obrigatórios.