Notícias da diocese › 11/09/2020

Diocese de Osório divulga orientações para período eleitoral 2020

Com o período eleitoral se aproximando, o bispo da Diocese de Osório, dom Jaime Pedro Kohl, emite orientações para todos os fiéis católicos. O texto é direcionado especialmente aos padres, diáconos e lideranças. O comunicado reforça aquilo que já é previsto em lei, como a proibição de propaganda eleitoral nos espaços comuns das comunidades, e também dá outras recomendações à luz do Evangelho e da Doutrina Social da Igreja.

 

Confira na íntegra:

 

Estimados irmãos e irmãs – sacerdotes, religioso(as), fiéis leigos e leigas da Diocese de Osório – saudações fraternas.

Neste ano temos eleições municipais, momento delicado e não por isso menos importante para as nossas comunidades. A atual situação de vulnerabilidade provocada pela pandemia do novo coronavírus exige ainda mais cuidado de todos os cidadãos, instituições e responsáveis pela justiça e pela construção do bem comum.

Os bispos do Brasil, em mensagem ao povo brasileiro, em 2018, diziam: “nas eleições, não se deve abrir mão de princípios éticos e de dispositivos legais, como o valor e a importância do voto, embora este não esgote o exercício da cidadania; o compromisso de acompanhar os eleitos e participar efetivamente da construção de um país justo, ético e igualitário; a lisura do processo eleitoral, fazendo valer as leis que o regem… É fundamental, portanto, conhecer e avaliar as propostas e a vida dos candidatos, procurando identificar com clareza os interesses subjacentes a cada candidatura”.

Algumas orientações básicas a serem observadas nas comunidades das paróquias da Diocese de Osório, nas eleições municipais deste ano:

  • A Igreja Católica não tem partido político e nem candidato próprio, mas tem a missão de iluminar a vida das pessoas e sua missão com a luz do Evangelho e dos valores do Reino de Deus. Ela considera a política como a forma mais perfeita de caridade e a participação nela um dos mais nobres exercícios da cidadania.

 

  • Todo leigo católico tem direito de fazer suas opções políticas e inclusive concorrer a cargos públicos como forma de participação na construção de uma sociedade sempre mais justa e fraterna.

 

  • Durante a campanha eleitoral – para os candidatos católicos que disputam cargos do poder legislativo ou executivo – julgo não ser conveniente que exerçam os ofícios específicos junto a sua comunidade, para evitar toda e qualquer possível acusação de propaganda indevida em função do cargo que exerce.

 

  • Não é permitido no interior de nossos templos apresentar nomes de candidatos tanto para o poder Executivo (prefeitos) como para o poder Legislativo (vereadores).

 

  • Pode-se promover nos espaços comuns das paroquias – com exceção no interior do templo – a reflexão sobre temas relevantes ao bem comum com participação dos candidatos e candidatas, desde que se dê a possibilidade de participação a todos os partidos mediante prévia aprovação do Pároco e do Conselho de Pastoral Paroquial.

 

  • Não é permitido aceitar qualquer tipo de doação por parte dos candidatos que possa ter conotação de privilégio em função de favorecimento eleitoral.

 

  • Sugerimos aos cristãos católicos que estão candidatos a procurar seus párocos para um diálogo franco apresentando suas motivações políticas e receber as informações sobre sua participação na comunidade durante o período que durar a campanha.

 

  • As próprias comunidades incentivem alguns católicos idôneos a apresentarem sua candidatura segundo o espírito da Doutrina Social da Igreja.

 

  • De modo algum, um católico pode utilizar o seu voto como objeto de troca pessoal para favorecer este ou aquele candidato, pois não é segundo a moral cristã. A compra de voto é crime e deve ser denunciado.

 

  • As leis da “ficha limpa” e de “combate a corrupção eleitoral” devem nortear tanto a atuação dos eleitores como dos candidatos.

 

Incentivamos as comunidades com seus candidatos a assumirem, à luz do Evangelho, a dimensão política da fé, a serviço do Reino de Deus. Sem tirar os pés do duro chão da realidade, somos movidos pela esperança, que nos compromete com a superação de tudo o que aflige o povo.

Creio que nestas eleições, ainda mais que nas precedentes, as campanhas vão se servir basicamente dos meios de comunicação, em especial a internet. Por isso pedimos muita atenção e alertamos para o cuidado com as “Fake News” (as falsas notícias). Não se deixem enganar. É sempre bom verificar as fontes. Passar adiante notícias falsas ou deturpadas pode complicar a sua vida e prejudicar toda a comunidade. Voto bom é o voto consciente.

Nossa Senhora da Conceição, Padroeira da Diocese, seja nossa fiel intercessora.

Dom Jaime Pedro Kohl – Bispo de Osório.

 

 

Deixe o seu comentário





* campos obrigatórios.