Notícias da diocese › 29/10/2018

Diocese de Osório divulga as nomeações e transferências de padres

Clero da Diocese de Osório reunido para a Missa do Crisma em Março de 2018 em Tramandaí

A Diocese de Osório, no Litoral Norte gaúcho, divulga na manhã desta segunda-feira, 29, a distribuição do clero por área pastoral, com nomeações e transferências de párocos e vigários paroquiais, para 2019.

Atualmente, a Diocese é composta por 22 paróquias, abrangendo o território entre Palmares do Sul e Torres, com o total de 32 padres, entre religiosos e diocesanos, 7 diáconos permanentes e, em 2019, contará com mais 2 diáconos transitórios (em vista da ordenação presbiteral).

Para o próximo ano está previsto o início do processo de criação de nova paróquia em Imbé, desmembrando da Paróquia Nossa Senhora dos Navegantes que, atualmente compreende esta cidade e Tramandaí.

 

 

De acordo com o bispo da Diocese de Osório, dom Jaime Pedro Kohl, as transferências e nomeações de padres são processos normais na organização da Igreja Diocesana; por isso, devem ocorrer em clima de tranquilidade, tanto para o padre que sai, quanto para o que chega. Igualmente, para as comunidades, a chegada de um novo pároco ou vigário paroquial, pode ser vivida como um momento bonito da caminhada de evangelização e organização.

Nesse processo de nomeações e transferências dos padres, dom Jaime Pedro pede apoio das comunidades; e, ao mesmo tempo, anima todos/as com orientações para acolhida dos novos sacerdotes. “Já sabemos, mas nem sempre é fácil observar, que quem chega na nova missão precisa de um tempo razoável para conhecer a realidade daquela paróquia com suas iniciativas, projetos, caminhada, lideranças, potencialidades, horários, práticas e também limites e dificuldades a serem superadas”, afirma dom Jaime Pedro.

 

Orientações do bispo

Dom Jaime Pedro preparou algumas orientações para o bom andamento do processo de transferência de padres, conforme segue:

– “É o padre que chega para servir as comunidades nas suas necessidades pastorais e não o contrário. Ao padre que chega é pedida muita escuta, observação, diálogo, sensibilidade e percepção para dar continuidade às iniciativas e processos em andamento, valorizando a caminhada das comunidades que pertencem àquela determinada paróquia.

– O Plano de Pastoral Paroquial deve ser assumido pelo novo pároco, sempre em diálogo com os conselhos existentes. Costumamos dizer que antes dos seis meses não se deve fazer mudanças. Não digo tanto, mas peço que se tenha muita cautela e atenção para não atropelar nada e ninguém, mas caminhar com as lideranças e pessoas que tem funções de responsabilidade nas comunidades.”

 

Ainda, alguns cuidados do padre que se despede da paróquia podem ajudar na sequência do trabalho pastoral e na sua adaptação. São cuidados pastorais e administrativos:

– Deixar todos os registros de batismo, crisma e matrimônios atualizados e assinados. As transcrições recebidas, efetivadas.

– Livro Tombo em dia e fechado com suas recomendações ou impressões.

– Apresentar ao padre que chega, em reunião de transição, com a presença do bispo diocesano, onde for possível acompanhe um outro padre (vigário geral ou coordenador de Pastoral ou ecônomo da diocese), além da presença do Conselho Pastoral Paroquial (CPP) e do Conselho para Assuntos Econômicos (CAE), um relatório das pastorais, movimentos e grupos existentes na paróquia, respectivos coordenadores, pontos fortes, fragilidades, resistências.

– Um inventário dos bens imóveis da paróquia (terrenos, prédios, outras propriedades) e sua situação.

– Compromissos assumidos, contratos e convênios assumidos pela paróquia com outras instituições.

– Situação financeira: entradas e saídas de 01 de janeiro a 31 de outubro de 2018 (relatório sintético); relatório das contas bancárias e o saldo, dinheiro em conta e/ou aplicado e em caixa.

– Projetos de construção ou reforma aprovados, em andamento ou previstos com respectivos orçamentos.

– Pendências financeiras, dívidas, compromissos futuros (valores e tempos).

 

Distribuição do clero por área pastoral

Para a atuação pastoral em 2019, nas 22 paróquias da Diocese de Osório, o clero (padres, religiosos, freis e diáconos), estarão distribuídos nas seguintes áreas pastorais:

 

Área Pastoral OSÓRIO

 

Paróquia Nossa Senhora da Conceição – Osório

Pároco: Pe. Hilário Sozo

Vigário paroquial: Pe. Vilson Schäfer

 

Paróquia Nossa Senhora do Caravaggio – Osório

Pároco: Congregação dos Pobres Servos da Divina Providência

 

Paróquia Nossa Senhora da Saúde – Cidreira

Pároco: Pe. Francisco de Assis Tonini de Caldas

 

Paróquia Santo Antônio de Pádua – Balneário Pinhal

Pároco: Pe. Marco Antônio Antunes

 

Paróquia São José – Palmares do Sul e Capivari do Sul

Pároco: Pe. Eder Matos dos Santos

 

 Área Pastoral CAPÃO DA CANOA / TRAMANDAÍ

 

 Paróquia Nossa Senhora de Lourdes – Capão da Canoa

Pároco: Pe. Jair Peres de Pinho

Vigário paroquial: Pe. Luiz Carlos Rosa da Silva

Diácono: Diác. Modesto Dezan

 

Paróquia Nossa Senhora dos Navegantes – Tramandaí e Imbé

Pároco e Vigários paroquiais: Ordem dos Frades Menores Capuchinhos

Diácono: Diác. Gilberto de Castilhos

 

Paróquia São Pedro – Xangri-Lá

Pároco: Pe. Luciano Motti

Diácono: Diác. Osmar Nunes da Silva

 

Imbé (futura paróquia): Pe. Celito Manganeli e Diácono Antônio Heliton Alves

 

 Área Pastoral SANTO ANTÔNIO

 

Paróquia Santo Antônio – Santo Antônio da Patrulha

Pároco: Pe. Adalberto Lummertz Borges e o seminarista Laudemir Demarchi

 

Paróquia Nossa Senhora da Boa Viagem – Santo Antônio da Patrulha

Pároco: Pe. Edegar Pereira da Rosa

 

Paróquia Santa Teresinha – Santo Antônio da Patrulha

Pároco: Pe. José Marcelino Willrich

 

Paróquia São Cristovão – Caraá:

Pároco: Pe. Nilso Ricardo Zanella

 

Área Pastoral TERRA DE AREIA

 

Paróquia São Pedro – Terra de Areia

Pároco: Pe. Ceverino Craco

 

Paróquia Nossa Senhora da Piedade – Barra do Ouro/Maquiné

Administrador Paroquial: Pe. Luiz Santin

 

Paróquia Santo André Avelino – Maquiné

Pároco: Pe. Ricardo Justin Jacoby

 

Paróquia Imaculada Conceição – Três Forquilhas

Pároco: Pe. Gelci Adelino Peroni

 

Área Pastoral TORRES

 

Paróquia São Domingos – Torres

Pároco: Pe. Leonir Alves

Vigário Paroquial: Pe. Almo Köhler (Incardinado na Diocese de Novo Hamburgo)

Diáconos: Diác. Arnaldo José de Mello e Diác. Paulo José Machado

 

Paróquia São José Operário – Vila São João

Pároco: Pe. Ozéias Vieira dos Santos

 

Paróquia Nossa Senhora de Lourdes – Arroio do Sal

Pároco:Pe. Edson Luiz Bataglin

 

Área Pastoral TRÊS CACHOEIRAS

 

Paróquia São José

Pároco: Pe. Tiago de Fraga Gomes

Vigário Paroquial: Pe. Carlos Alberto da Rosa

Diácono: Diác. Davi Evaldt Hainzenreder

 

Paróquia Nossa Senhora do Amparo – Dom Pedro de Alcântara

Pároco: Pe. Gilberto Silva de Fraga

Pároco Emérito: Pe. Roberto Egydio Pezzi (Incardinado na Diocese de Caxias do Sul)

 

Paróquia Senhor Bom Jesus – Morrinhos do Sul e Mampituba

Pároco: Pe. Ildomar Ambos Danelon

 

Seminário Maior Rainha dos Apóstolos, da Diocese de Osório – Viamão

Reitor: Pe. Rodrigo Schüler de Souza

 

O bispo diocesano pede também a todos/todas, padres e paroquianos/as, “movidos pelo desejo de servir e acertar, confiemo-nos ao divino Espirito Santo e contemos sempre com sua sabedoria, e a intercessão de Nossa Senhora da Conceição, padroeira da nossa Diocese”, para a realização do projeto de Deus na vida das pessoas, nas comunidades de fé.

O clero irá se reunir com o bispo dom Jaime Pedro, em Assembleia Anual do Clero, entre os dias 5 a 7 de novembro, na Casa Tiberíades, em Cidreira, para planejamento, encaminhamentos e programação pastoral para 2019.

Também a coordenação diocesana de Pastoral, atualmente exercida pelo Pe. Luciano Motti, passará para o Pe. Edegar Pereira da Rosa.

 

 

 

Deixe o seu comentário





* campos obrigatórios.