Notícias da diocese › 23/01/2019

Diocese de Osório contará com uma nova Cúria e um Centro de Pastoral

 

A Diocese de Osório foi criada em 10 de novembro de 1999 pela Bula Apostolicum Supremi do Papa João Paulo II, sendo desmembrada da Arquidiocese de Porto Alegre e da Diocese de Caxias do Sul. A partir da sua instalação passou a necessitar de uma estrutura física mínima para desenvolver sua função de animação, formação e articulação pastoral.

De acordo com o bispo diocesano, Dom Jaime Pedro Kohl, uma diocese é uma organização religiosa que tem como objetivo principal pastorear o povo presente no seu território nessas três dimensões a partir das realidades de cada paróquia.

Na trajetória a partir da criação da Diocese de Osório, que compreende os municípios de Torres a Palmares do Sul, no Litoral Norte gaúcho, além da articulação pastoral, nos últimos 11 anos de atuação do seu segundo bispo, foram realizadas, na cidade de Osório, as obras da reforma da Catedral e da nova casa residencial para o bispo – que residia na Cúria em espaço dividido com a área administrativa. E, nos próximos anos, a Diocese terá o desafio de construir uma nova Cúria e um Centro de Pastoral.

Para Dom Jaime Pedro, “uma nova cúria se faz necessária devido à precariedade e limitação da estrutura atual na rua Mario Santo Dani, 218, Centro de Osório. E também a sua localização imprópria por uma série de fatores que tumultuam o seu funcionamento”, explica o bispo.

 

O projeto

Na estrutura de uma diocese além da Cúria é comum contar com Centro de Pastoral para a realização de retiros, formações, encontros de grupos e movimentos, reuniões de pastorais, organização de eventos, atividades que exigem espaços amplos e acolhedores, estrutura essa que atualmente a Diocese de Osório não dispõe e acaba alugando espaços de terceiros.

“Optamos por construir as duas estruturas, uma mais administrativa e a outra mais pastoral, numa mesma área bonita e ampla que a Mitra já possui no final da Rua Santos Dumont, Bairro Albatroz, o que facilita muito o acesso à cidade de Osório pela Estrada do Mar”, acrescenta Dom Jaime Pedro.

Para o bispo, embora a Cúria tenha mais uma finalidade administrativa e burocrática e o Centro de Pastoral mais de formação e animação, acredita que as duas se complementam e uma precisa da outra. “Certamente favorecerá uma racionalização de custos, uma maior qualidade nos serviços prestados, ambientes dignos, aconchegantes e acolhedores para as pessoas, grupos e comunidades da Diocese”, acrescenta.

 

Reunião sensorial

Para a fase de construção do projeto da nova Cúria e do Centro de Pastoral, padres da Diocese foram convidados para participar de uma reunião “sensorial”, na qual o grupo esteve no local que serão construídos os prédios para participar da elaboração do projeto a partir das suas percepções.

A reunião contou com a mediação do arquiteto e urbanista Alencar Massulo de Oliveira, do escritório Paralelo 36 – Arquitetos e Urbanistas, responsável pelo projeto e execução da obra. De acordo com Alencar, o projeto vai abarcar várias atividades, a parte administrativa da Cúria e também alojamento para retiros, atividades pastorais, ampla área ao ar livre, capela, auditório, cozinha e refeitório para cerca de 200 pessoas.

“Pensar tudo isso requer a participação das pessoas que irão trabalhar e atuar no local. Como o terreno tem características específicas de localização, de dimensões, possibilidades inúmeras de organização, achamos interessante que os próprios padres que são quem representam as comunidades e estão em contato direto com os movimentos e com as pastorais se apropriassem daquele espaço e entendessem como que deve funcionar”, conta Alencar explicando que a participação do clero possibilita construir um espaço não só administrativo, mas também de celebração, encontros e dinamização da pastoral.

A reunião conduzida para reconhecimento sensorial do local da construção da nova Cúria e Centro de Pastoral teve encerramento com descrição mais detalhada do projeto na atual Cúria no Centro da cidade, que se encontra com uma série de problemas estruturais e de conservação.

Além de apresentar um desenho com linhas contemporâneas, este primeiro estudo arquitetônico desenvolvido salienta a valorização das questões ecológicas e de sustentabilidade. A intenção, segundo o Paralelo//36, é não precisar interferir nas árvores existentes no terreno, posicionar as construções de modo que aproveitem da melhor forma possível a luz e a ventilação, além de disporem de tecnologias amigáveis ao meio ambiente – como reuso de água da chuva e geração de energia solar.

 

O investimento

O investimento estimado é de aproximadamente R$ 6 milhões e vai precisar da colaboração de todas as 22 paróquias e das pessoas de boa vontade para a construção desse patrimônio da tão jovem Diocese.

“O povo do Litoral Norte é generoso e merece algo bonito e funcional para as suas necessidades. Temos sinais claros que a Providência quer esta obra, por isso no mais tardar em maio ou junho de 2019 devemos iniciar os trabalhos de construção”, conclui dom Jaime Pedro.

O projeto ainda deve passar pela análise dos órgãos públicos, inclusive Meio Ambiente e Corpo de Bombeiros; e a obra, prevista para meados do ano de 2019, só terá início após a emissão, por parte da Prefeitura de Osório, do Alvará de Licença para Construção.

Conheça mais detalhes do projeto já elaborado a partir da reunião no local da obra e apresentado à Diocese nesta última sexta-feira, 18 de janeiro, pela empresa “Paralelo 36 – Arquitetos e Urbanistas”.

Ainda é possível enviar sugestões através do e-mail: alencar@paralelotrintaeseis.com ou conversando diretamente com o Alencar pelo telefone (51) 9-9916-5924.

 

O projeto contará com a construção de três prédios, conforme abaixo:

O prédio à direita (1), mais baixinho, é a Cúria onde se dará o trabalho administrativo;

Os outros dois prédios (2 e 3) compõem o Centro de Pastoral. O localizado à esquerda (3), que está sobre pilares contará com um estacionamento, também será o alojamento com quartos para 200 pessoas.

O prédio do meio (2), no térreo terá um auditório e salas de reuniões, cozinha e refeitório, pois aos fundos terá também um terraço. No terceiro pavimento estará a Capela.

No fundos dos prédios o projeto prevê um espaço aberto e amplo com uma quadra de esportes, um bosque com uma gruta, formando um ambiente para convívio ao ar livre.

 

 

 

Fotos/imagens: Paralelo 36 – Arquitetos e Urbanistas

 

Deixe o seu comentário





* campos obrigatórios.